quarta-feira, 1 de junho de 2016

TEXTO - EDUCAÇÃO DE NOSSOS FILHOS PERANTE NOSSAS ATITUDES

 


Querido leitor.
O bom da vida é podermos contar com nossos familiares para nos fazer companhia, tanto nas horas difíceis como nas horas de lazer. Tudo tem mais sentido, mais significado, mais intensidade se partilhado com quem amamos. A vida ganha cor, os rostos ganham sorrisos e a casa fica cheia de alegria e compreensão.
Vou compartilhar com você, leitor, momentos de intimidade, cumplicidade e... Felicidade!
Seja bem vindo ao meu lar!


Sabemos o quanto é difícil, hoje em dia, educarmos nossos filhos. Por questões de segurança, humanidade e financeira, também.
Qual é a mãe ou o pai que nunca perde a paciência em relação aos desejos de seus filhos?
Quem nunca faz as contas do mês e vê que precisa economizar aqui e ali para sustentar a casa, deixando de lado, muitas vezes, os próprios desejos para satisfazê-los?
Como fazer com que a vida deles seja satisfatória e feliz?

São muitas as dúvidas que nos perseguem enquanto o tempo passa e os filhos crescem. Felicidade para os nossos filhos é prioridade para quem se preocupa com o destino deles. 


Pensando nisso, escrevi um texto sobre como ensinar a resiliência aos nossos filhos, como fazer pra que o nosso lar não seja invadido por sentimentos autoritários e excessivos. Acredito que devemos rever nossos conceitos na hora de impor regras a eles.

 
FORÇA DOS PENSAMENTOS

São muitos os estudos sobre o milagre da vida. Todos têm a curiosidade de saber de onde viemos e a que estamos submetidos a fazer nesse mundo. Desde o mais humilde ao mais ousado pensador, qual deles não se pergunta o que vem por trás das atitudes humanas, o que desperta nas pessoas o intuito de agir, seja qual for o tipo de ação?
O mundo não para. O tempo é só mais um artifício que encontramos para controlar as ações das pessoas. Ou seja, ações requerem regras. 
Hora de levantar, hora de estudar, hora de almoçar, hora de levar o cachorro para passear, hora de trabalhar... Regras nos impõem o que devemos fazer e, se não bastasse isso, quando devemos fazer e o quê.


 O ser humano exige uma vida regrada para se viver em harmonia. Quem se opõe às regras? Quem duvida de regras que estão a tanto tempo na cultura da família? As pessoas absorvem as regras na formação da sua personalidade, que vêm embutidas no seu caráter. Mas onde fica o livre arbítrio de cada um? Quem impõe as regras não se questiona quantas pessoas vai agradar e quantos casos de exceções às regras existem. Simplesmente acham que é a ordem natural das coisas. Quem pensa diferente acaba sendo tratado diferente dos demais.

 

E, dependendo a regra, claro, será que é tão errado ter seu próprio ponto de vista a respeito de alguma ideia? Sabemos que a democracia afirma que não, que todos temos direito de manifestar nossas ideias, mas começando por nós mesmos, aceitamos quem nos contraria? Aceitamos conviver com quem sempre diverge de nós? Paramos para pensar que podemos estar errados? Admitimos estar errados perante quem diverge de nós?
 


E saber que as relações das pessoas movem o mundo. Somos tão pouco perto de todos que esquecemos que de nós depende a qualidade de vida que há ao nosso redor!

E que a vida é partilhada com todos, ou seja, compartilhada, que de energia a energia se faz o material que somos; ninguém é parte do nada, mas todos somos parte do TUDO.
 


E o que É antes de SER? 
Pensamento, mero pensamento...
Então, nada melhor do que mostrar o que deve ser feito, compartilhado e vivido, com o nosso próprio exemplo para os nossos filhos. Ensinamos a eles o que É SER, sendo...


Fotos de Katia e Kelen Rech. Por Katia Gobbi
 
Fique com Deus e tenha uma ótima noite.
Beijos meus.
KG Kati (Katia Gobbi)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo! Seja um seguidor do blog e comente!