quarta-feira, 16 de maio de 2018

DEPRESSÃO versus ATIVIDADE FÍSICA "AMOR”

Querido leitor.

Vamos deixar o preconceito e a vergonha de lado e falar da principal atividade física a qual todos que convivem com um companheiro (a) tem acesso. É uma atividade indolor, prazerosa, insubstituível e é de graça!

Sabe do que estou falando? Isso mesmo! Amar, amar, amar, amar... 

E não é sobre amar ao próximo, não! É sobre fazer amor, mesmo. Fazer sexo com quem se ama, além de ser antidepressivo é uma ótima forma de manter uma atividade física saudável. Claro que, com todos os meios preventivos de doenças venéreas e gravidez em dia! 

Não deixe seu parceiro (a) sexual admirar e desejar outras pessoas! Como? Faz amor com ele com toda a sua energia e sensualidade. 

Todos nós temos um pouco dela dentro de nós; é só ativarmos essa ferramenta diariamente, com criatividade e paixão.
Em primeiro lugar, se você está com alguém é porque houve atração entre vocês em algum momento de suas vidas. Basta reativar essa atração com uma boa dose de sensualidade.

Quer exemplos? Uma nova lingerie, uma dança sensual, uma visita ao Sex Shop, uma noite em um motel, livro erótico, filmes eróticos, um vídeo sensual (como esse abaixo!) 






Poesia: Alexandre Samambaia
Produção: Gilson Rodrigues
Narração: Amy Book


VÍDEO NO FACEBOOK



“ARTIGO DA NET”

Sexo pode ser o melhor remédio para Depressão
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
O sexo pode funcionar como um antidepressivo natural, pois as alterações químicas que acontecem no cérebro durante e após o contato íntimo podem ajudar a melhorar o humor, aumentar a libido e a confiança, diminuindo os efeitos da depressão.
O contato íntimo produz alterações químicas cerebrais que melhoram o humor devido a liberação de testosterona, estrogênio, serotonina e prostaglandinas na corrente sanguínea, hormônios que regulam as funções do corpo e a capacidade de lidar com o estresse. Assim, uma vida sexualmente ativa pode ajudar a manter os níveis hormonais adequados, o que vai ajudar no tratamento da depressão.

Sexo pode funcionar como um antidepressivo natural aumentando alguns hormônios no corpo.

Dicas para manter uma vida sexual ativa enquanto está com depressão


Manter uma vida sexual ativa enquanto está com depressão pode ser um desafio, pois esta doença acaba com a libido e desejo sexual mas, isto com dedicação e acompanhamento médico pode conseguir manter uma vida sexual ativa que vai contribuir para as suas melhoras. Assim, existem algumas dicas que podem ajudar a manter uma vida sexual ativa enquanto luta contra esta doença, como:

1. Entender o que mais gosta no sexo e explorar outros horizontes
Conseguir entender o que mais o atrai no contato íntimo com o seu parceiro é uma boa forma de começar a contornar a falta de desejo sexual. Muitas vezes, apenas de ideia de manter um contato sexual pode parecer demasiado cansativa e custosa, sendo, por isso, importante focar o contato íntimo em seus gostos e interesses. Além disso, experimentar outras formas de fazer sexo também pode ajudar, pois podem ser encontradas outras formas que aumentam o prazer e facilitam a chegada ao orgasmo.

2. Conversar com o seu parceiro
Conversar com o seu parceiro sobre como se sente e sobre a sua falta de desejo sexual pode ser de grande ajuda, pois desse modo ambos podem assim começar a combater esta falta de desejo de outras maneiras, reduzindo também a ansiedade e medo que pode existir em relação a este assunto.

3. Não esperar por apenas quando tem vontade
Sexo apenas é bom quando se tem vontade, porém, se está passando por uma depressão, essa vontade parece nunca surgir ou o momento parece nunca ser o ideal. Assim, é importante que não evite constantemente o seu parceiro ou parceira, fazendo de vez em quando um esforço para que o momento surja.

4. Focar no tratamento da doença
É importante focar no tratamento da doença e não no sexo e na falta de desejo sexual, pois esta falta de desejo pode causar insegurança, medo e ansiedade, prejudicando o seu relacionamento e podendo mesmo agravar a doença.

A relação que existe entre o sexo e a depressão pode ser complicada, pois enquanto que por um lado o contato íntimo estimula a produção de hormônios, melhorando o humor, autoestima e atenuando os restantes efeitos da depressão, por outro lado, a depressão é uma doença que acaba com a libido e o desejo sexual e que rouba a segurança e confiança. Assim, para que possa ultrapassar a sua depressão com maior facilidade, é importante que mantenha uma relação intima ativa e saudável com o seu parceiro e é importante não focar apenas na falta de desejo sexual, mas também no tratamento da doença, que deve ser indicado e acompanhado por um psiquiatra.

Além disso, para contribuir para um melhor controle das alterações hormonais, deve também buscar ter uma boa alimentação e horas de sono regulares e deve tentar praticar uma atividade física para combater o cansaço físico e mental associado a esta doença. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo! Seja um seguidor do blog e comente!