CONVERSANDO COM KATI - PEDRO SILVA


Querido leitor.

Estou criando um quadro neste meu blog que se chama “Conversando com Kati”, onde vou entrevistar poetas, autores e escritores brasileiros ou estrangeiros, trazendo grandes novidades no meio literário para vocês. “Conversando com Kati” irá apresentá-los, além de saber como foi o passo a passo ao criar suas obras.

Hoje, apresento a vocês o escritor português Pedro Silva, primeiro entrevistado do quadro.

Vem comigo! 

Beijos meus!

ENTREVISTA 

Fale-me de você! 
Qual seu Nome?:  Pedro Silva
Data de nascimento: 1977
Cidade/estado onde nasceu: Portugal
Cidade/estado onde vive: Portugal
Site para venda de livros:       https://pedrosi7va.wixsite.com/ps77 

1- Quando percebeu que tinha o dom da escrita a seu favor?
Resposta: Não sei, até hoje, se tenho o dom da escrita. O que sei é que, desde os meus 5 anos de idade, que garantia a pés juntos que queria ser escritor. E que, se um dia conseguisse publicar um livro, iria assinar apenas como "Pedro Silva". Consegui cumprir esse sonho à minha saudosa avó materna Diamantina.

2- Quais são os livros e escritor preferido que o inspira a escrever?
Resposta: Com o passar dos anos, tive vários autores que muito apreciei. No entanto, talvez o livro e autor que mais me tenham marcado seja, efetivamente, "A Metamorfose" de Franz Kafka. É, como sabeis, um livro complexo mas que, lido e relido, acaba por ser sempre surpreendente. E isso fascina-me.

3- Como surgem as ideias para escrever, em que momentos do dia?
Resposta: Não existe um momento pré-definido para que a ideia surja. No entanto, talvez o chamado crepúsculo seja a melhor altura. E isso pode estar conectado com a necessidade de reflexão e de tranquilidade.

4- Precisa de silêncio absoluto ou prefere algum gênero musical?
Resposta: Tal como frisei na questão anterior, careço de calma para poder produzir em termos literários. Daí que, entre as duas hipóteses, tenha de escolher o silêncio absoluto. Porém, se a minha escrita tivesse algum gênero musical como acompanhamento, seria, sem sombra de dúvida, a Bossa Nova.

5- Já tem alguma obra lançada no mercado? Se várias, qual a favorita?
Resposta: De facto, tenho várias obras lançadas no mercado. Neste momento (finais de 2018) tenho 70 livros publicados. É extremamente complicado, a um autor, escolher a sua obra favorita - seria o mesmo que pedir a um pai para selecionar, entre os seus filhos, qual o que prefere. Porém, creio que o primeiro livro tem sempre um cariz particular, pela sensação que provoca no autor recém-publicado.

6- Atualmente, cada vez é mais difícil publicar um livro, principalmente devido a motivos financeiros. Qual foi a sua maior dificuldade na publicação dos seus, caso já tenha publicado?
Resposta: Dado que publiquei, pela primeira vez em 2000, em uma altura na qual não havia essa questão de "print on demand", "livros virtuais" e afins de uma forma tão evidente, julgo que nessa época ainda se publicava de acordo com a qualidade da obra propriamente dita. Hoje em dia, suponho que os novos autores tenham de enfrentar outra questão - qual deles tem melhor marketing pessoal. Sinais dos tempos...

7- Compare a situação do Brasil na literatura, relativamente aos outros países. Acha que teria mais ou menos sucesso se publicasse as mesmas obras em outro país?
Resposta: Sendo um escritor português, fica difícil responder a essa questão. No entanto, de uma perspectiva exterior, há dois pontos que posso somar a essa equação - daquilo que conheço, o Brasil tem autores de excelência (quer os consagrados, quer as novas gerações) e, por outro lado, tive a grata felicidade de sempre ter sido bem recebido pelos editores brasileiros. Portanto, nada tenho a queixar-me do mercado editorial no Brasil.


8- Qual seu gênero literário?
Resposta: Sou, sobretudo, autor de ensaio histórico. Ainda assim, já me abalancei por ficção (para adultos, para adolescentes e infanto-juvenil). Também publiquei, crônicas e romance. Enfim, procuro diversificar o máximo possível. Mantenho, ainda, o sonho de um dia publicar banda-desenha (que, no Brasil, apelidam quadrinhos).

9- O que o motiva a escrever?
Resposta: Escrevo por prazer. É essa a minha motivação. Não existe uma voz interior, nem uma urgência - como, por vezes, escuto de outros autores. Faço o que gosto, sem obrigações de qualquer gênero. Enquanto assim for, continuarei.

10- Houve preocupação em se dirigir a um tipo de leitor especificamente? Que reação espera do leitor ao ler o que escreve?
Resposta: Tal como procuro enquanto escrevo, ambiciono o mesmo para o meu leitor - que sinta prazer na leitura daquilo que eu produzo em termos literários.

11- Falemos de cama: adormecendo lhe vem uma idéia, deixa para pensar no dia seguinte ou levanta-se de um salto, alucinado?
Resposta: Creio que nenhum escritor deixaria para o dia seguinte, não é mesmo? 

12- Sentimentos negativos como ódio, ciúme, inveja, vingança são motores bem regulados para a criação de uma obra?
Resposta: Se forem ficcionais, creio que sim. Ainda que eu seja, sobretudo, um autor de não-ficção.

13- Cercado de baixo-astral por todos os lados, insiste em escrever por que...
Resposta: Na verdade, se eu estiver cercado de baixo-astral por todos os lados, na verdade não insisto em escrever. Prefiro parar, auxiliar e levantar o astral aos que me rodeiam e, só depois, concentrar-me na escrita. 

14- O que lhe atrai mais: versos livres ou formas fixas?
Resposta: Atendendo a que venho da área mais académica, talvez as formas fixas façam mais parte do meu estilo. Ainda que o que me atrai na escrita é criar o meu próprio caminho. Acho que, na literatura, não existe lugar para seguidismos. Devemos conhecer os grandes mestres, porém não imitá-los. Por outro lado, isso não significa abastardar a língua.

15- Tem alguma ideia amadurecendo?
Resposta: Existe sempre uma ideia fervilhando na mente de um escritor. Mas isso não significa que ela se converta necessariamente em algo concreto. Por vezes a ideia é substituída por algo mais profícuo ou, até, fundida em outra ideia maior. A vida de um autor é bem volátil: acho que é isso que faz de nós encantadores de leitores.

16- Você chega a consultar dicionários, enciclopédias, listas telefônicas, guias turísticos, mapas, gramáticas, banco de dados, ou até mesmo bibliotecas?
Resposta: Não chego a ir tão longe quanto as listas telefônicas :) mas gosto de fazer pesquisas. Aliás, a isso sou obrigado, pois escrevo não-ficção.

17- Qual foi o seu primeiro e decisivo ato literário?
Resposta: Sem dúvida, o dia em que enviei uma carta (na altura em que ainda se enviavam cartas em papel) a um editor, propondo a análise do meu primeiro livro. Aí, sim, estava dado o primeiro passo para me tornar escritor: expor o meu trabalho e sujeitar-me às críticas externas.

18- E o computador? A parafernália informática? Você convive com a tecnologia de sua época?
Resposta: É inevitável, hoje em dia, ter de conviver com a tecnologia. Ainda assim, reduzo-me ao mínimo essencial. Mas não dispenso o computador e o correio electrónico. O resto, como - por exemplo - as redes sociais, dispenso-as...

19- Quando olha para trás sua maior satisfação é poder dizer que...
Resposta: ...consegui publicar um livro. Era esse o meu sonho em criança e adolescente. A partir daí, tudo foram expectativas suplantadas.

20- A parte da emoção é maior na sua obra ou em sua vida?
Resposta: Sem dúvida, na minha obra. É através dos meus livros que vivo de forma emocionada. A minha vida é sensaborona mesmo. 

21- Além de escrever, o que mais faz?
Resposta: Tenho a vida profissional idêntica a qualquer pessoa e a vida simples de um ser humano. Com altos e baixos. Alegrias e tristezas. Um escritor é apenas um profissional da escrita.

22- Suas paixões avassaladoras descritas em suas obras são...
Resposta: Nunca descrevi minhas paixões avassaladoras nas minhas obras.

23- Uma mensagem a alguém especial?
Resposta: Queria agradecer aos meus leitores brasileiros o facto de, após quase 20 anos da minha presença, enquanto autor no vosso país, continuarem a ter paciência para meu ler. Isso deixa-me muito feliz e, por isso, vos agradeço de coração.

24- Quem é você no íntimo? Quando está só em seu momento de introspecção...
Resposta: Apenas e só alguém / Mais do que ninguém...

Pedro Silva.


Natural da cidade de Tomar – Portugal, é Licenciado em História e Patrono  da Biblioteca Municipal Dr. Pedro Silva situada em São Martinho Grande (Ribeira Grande de Santiago - Cabo Verde). 

Pedro Silva é, igualmente,  pós-Graduado em Estudos Portugueses Multidisciplinares, Cidadão Honorário  da Cidade Velha (Ribeira Grande de Santiago - Cabo Verde) e Medalha  municipal de Mérito – Grau Ouro pela Câmara Municipal de Tomar.

Da sua lista de publicações, algumas fazem parte os seguintes títulos, com  
referências às respectivas reedições, traduções e publicações em outros  países:


1) «Ordem do Templo: Em Nome da Fé Cristã» (Ulmeiro, Portugal, 2000)  Ensaio; "História e Mistérios dos Templários" (Ediouro, Brasil,  2001); "Templários (Ordem Militar e Religiosa)" (Catedral das Letras,  Brasil, 2005); "Historia y Misterios dos los Templarios" (Euedito,  Portugal, 2011) Não Venal.

2) «Escritos Errantes» (Publicações Senso, Portugal, 2002) Ficção; "O Sol de Rita" (Corpos Editora, Portugal, 2006); "Já Passou" (Corpos Editora,  Portugal, 2006).

3) «Ku Klux Klan: Pesadelo Branco» (Magno Edições, Portugal, 2003)  Ensaio; "Os Impérios Invisíveis da Maçonaria e do KKK" (Euedito, Portugal,  2014); "Sociedade Secreta Ku Klux Klan: Desvendando os Mistérios" (Editora  Mikelis, Brasil, 2018).

4) «Tripla Imparável» (Magno Edições, Portugal, 2005) Ficção.

5) «Os Templários e o Brasil» (Flâmula Editora, Brasil, 2005) Ensaio.

6) «Templários em Portugal» (Ícone Editora, Brasil, 2005)  Ensaio; "Templários em Portugal" (Dinalivro/Ícone Editora, Portugal,  2005); "Templarios (Cruz y Medialuna)" (Bajo Los Hielos, Chile, 2007)  co-autor; "Codex Templi" (Zéfiro, Portugal, 2007) co-autor; "Los Templarios  en España y Portugal" (Europa Viva, Espanha, 2008); "Historia Misteriosa de  España y Portugal" (Europa Viva, Espanha, 2009) co-autor; "Portugal (país  de tradição)" (Ramiro Leão, Portugal, 2010); "Portugal - Apologia Humana e  Lusitana" (Thebooksonthetable, Brasil, 2011); "Primórdios Místicos de  Portugal" (Ministério dos Livros, Portugal, 2011); "História Mística dos  Templários" (Euedito, Portugal, 2014).

7) «Confraria Mística Brasileira: a História» (MAP, Brasil, 2006) Ensaio.

8) «Símbolos e Mitos Templários» (Centauro Editora, Brasil, 2006) Ensaio.

9) «Mistérios da Humanidade» (Via Occidentalis, Portugal, 2006) Ensaio; "Os Grandes Mistérios da Humanidade" (Axcel Books, Brasil, 2006); "Mitos y Misterios del Mundo" (Corona Borealis, Espanha, 2010); "Enigmas de la Humanidad" (Corona Borealis, Espanha, 2012); "História Mística da Humanidade" (Euedito, Portugal, 2014).

10) «Roteiro Místico de Portugal» (Editora Leitura, Brasil, 2006) Ensaio.

11) «Assassini (uma seita esotérica)» (Via Occidentalis, Portugal, 2006)  Ensaio; "Assassinos" (Pulso Editorial, Brasil, 2006); "A Ordem dos  Assassini" (Pulso Editorial, Brasil, 2009).

12) «A vida portuguesa como ela é» (Matrix Editora, Brasil, 2006) Ficção.

13) «História dos Lusitanos» (Editora Prefácio, Portugal, 2006)  
Ensaio; "Memória dos Lusitanos" (Edições Viriato, Portugal, 2016).

14) «Romance na Net» (Idea Editora, Brasil, 2006) Ficção / co-autor.

15) «O Código da Maçonaria» (Universo dos Livros, Brasil, 2007) Ensaio; "O  Código da Maçonaria" (Letras Itinerantes, Portugal, 2015)....


Capa do Livro em pré-lançamento na cidade onde reside em Portugal:



Outros livros à venda pelo site: https://pedrosi7va.wixsite.com/ps77




Comentários

BLOGS QUE EU SIGO

Postagens mais visitadas

ANTOLOGIA MALDITOS & CLANDESTINOS

EMOÇÕES X INSTINTOS - Crônica

Livro Lembranças Vividas

FLORAIS DE BACH - RENOVANDO A ENERGIA NO CORPO E NA MENTE

SONHOS VIVIDOS POESIAS

Livro Lembranças Cruzadas em Poesia

Compre aqui o livro 'LEMBRANÇAS CRUZADAS Em Poesias'

Livro Lembranças Vividas

Compre aqui o livro 'Lembranças Vividas '

Livro Sonhos Vividos

Compre aqui o livro 'Sonhos Vividos'